• R. Júlio Maringoni 14-21
  • (14) 3879-9869
O IMPACTO DAS FINTECHS NO MERCADO BRASILEIRO

O IMPACTO DAS FINTECHS NO MERCADO BRASILEIRO

Não há como voltar atrás, a sociedade está cada vez mais tecnológica e exigente. O aumento da conectividade possibilita que pessoas estejam mais informadas e com isso, procurem por serviços cada vez mais rápidos, com preços justos e sem burocracias que atrapalhem a dinâmica de suas rotinas. Ir ao banco para conversar com o gerente é uma atividade que começou a entrar em processo de extinção e, tudo indica que em breve será extinta totalmente.

Com o surgimento das fintechs, o mercado financeiro e tecnológico começaram a trabalhar em parceria visando uma experiência melhor para as pessoas que precisam de serviços financeiros, mas que não estão mais dispostas a encararem longas filas, taxas e juros abusivos, entre outras coisas.

É nesse cenário de inovação e tecnologia que surgem cada vez mais startups com essa característica de fintechs (Financial Technology) com o objetivo de oferecer produtos e serviços em condições melhores, tudo na palma de sua mão, disponível em seu smartphone. Essas empresas entenderam que houve uma mudança de consumo e que a tendência do mercado é que essas mudanças se consolidem e continuem avançando.

O exemplo mais conhecido atualmente é o da Nubank. Há 5 anos atrás quem imaginava que fosse possível ter um cartão de crédito sem anuidade, sem tarifas, e que você mesmo pudesse controlar o seu limite de crédito, de acordo com a sua renda? Mais do que isso, alguém previu que seria possível também abrir uma conta corrente, receber e transferir dinheiro tudo pelo celular e que isso aconteceria sem nenhuma taxa de serviço? Só no ano passado, a fintech brasileira passou de 1,3 milhão de clientes para 3 milhões. Seu valor de mercado?  U$$ 1 bilhão.

Outras empresas surgiram com o mesmo objetivo de unir a tecnologia com as necessidades de gerenciamento financeiro das pessoas. Outro dado interessante, é com relação as antigas instituições financeiras que começaram a investir na criação de startups para se tornarem competitivos nesse mercado absolutamente novo em que o cliente, mais bem informado, compara cada benefício e comodidade oferecidos pelas empresas antes de se cadastrarem. O Bradesco, por exemplo, criou o Next, um dos principais concorrentes da Nubank, já o Itaú, anunciou que pretende trabalhar com até 210 startups desenvolvidas pelo banco. Isso era impensável.

Segundo levantamento feito pela Finnovation, o número de startups que atuam no segmento financeiro praticamente dobrou entre os anos de 2016 e 2018. Além disso, uma pesquisa realizada pela ABFintechs (Associação Brasileira de Fintechs), indicou que 95% das empresas esperam ver suas receitas aumentando. Ou seja, a tendência do mercado é de crescimento nesse segmento. Como podemos afirmar isso? Além dos números provenientes de pesquisas, a mudança no perfil do consumidor é clara, e nosso interesse por tecnologia, produtos e serviços inovadores não vai diminuir, só vai aumentar.

É óbvio que nós da Aero Comunicação estamos sempre atentos a toda essa movimentação de inovação tecnológica, aos impactos que isso tem gerado na economia, além de frequentemente estudarmos as tendências de mercado visando conhecer melhor o perfil dos consumidores e como podemos auxiliar nossos clientes a obterem melhores resultados nesse cenário atual.

Crédito da foto: Por Beto Chagas – Shutterstock